Sete pecados capitais do empreendedor sem mentores poderosos

Sem comentários 142 Visualizações0


Erros do Empreendedor

O que faz um empreendedor errar tanto para depois acertar?

Por que não validar sua ideia antes de lançar ao mercado?

Quem inventou esse mantra de “o segredo é a alma do negócio”?

Será que depois de tantos erros o mercado continuará lhe dando uma segunda chance?

Pois é, essas indagações bateram fundo na minha alma quando resolvi escrever um post sobre a importância de um mentor (ou mentores) na vida dos empreendedores. Como é importante receber aconselhamentos, trocas de experiências, informações relevantes de mercado, insights de quem já viu e viveu tanto o mundo corporativo.

Antigamente era mais difícil ter esse suporte, o mundo girava diferente e a informação estava restrita a cursos, seminários, feiras, palestras e uma boa dose de networking. Ainda assim era um processo muito solitário ou restrito à diretoria e executivos.

A boa nova é que já é possível buscar ajuda qualificada, com mentores experientes e plenamente capazes de te ajudar verdadeiramente em seus desafios. Só que… tem muita gente boa, excelentes empreendedores até, mas que ainda não perceberam essa opção incrível de elevar seu negócio através desses profissionais.

 

Clique aqui e saiba porque todo empreendedor deveria ter um mentor.

 

A seguir, vou elencar os sete erros que empreendedores ainda cometem por falta de um mentor. São eles:

 

1)“Vou lançar rápido antes que alguém lance”!

É a mesma coisa que você pegar uma receita de bolo incompleta, lançar ao forno e esperar que saia algo bom. É impossível! Você precisa passar por todo o processo de construção do seu plano de negócios (ideia central, proposta de valor, segmento, estudo de mercado, validação, planilha financeira, marketing, etc…). Respire fundo e faça o dever de casa.

2) “No final tudo vai dar certo”

Já vi muito empresário esperando uma luz divina resolver seus problemas. Nada contra, até porque também acredito no poder da oração. Bem, acontece que você precisa se ajudar e, quando algo não vai bem, a primeira pergunta tem que ser:

Isso é causa ou efeito?

Por exemplo, se minhas vendas vão de mal a pior, a responsabilidade exclusiva é da minha equipe comercial (efeito) ou quem sabe meu produto apresenta muito defeito de qualidade (causa)? É preciso investigar com lupa e resolver, simples assim ok?

3) “Tenho o melhor preço, estou feito!”

Se a sua estratégia está ancorada em preço, muito cuidado! Sempre terá um concorrente ávido por fazer mais barato que você. Pense e aja para encantar seu cliente, tornar perceptíveis seus atributos, ter uma entrega campeã, construir uma marca que seja realmente admirada. Dessa forma, você estará blindado contra eventuais trombadas com a concorrência.

Pesquisa realizada recentemente aponta a sobrevida média para empresas ancoradas apenas em uma estratégia:

  • Preço: 60 dias;
  • Propaganda: 12 meses;
  • Produto: 36 meses;
  • Pessoas: 07 anos.

As pessoas estão no centro da estratégia, mas o equilíbrio é que vai criar e perenizar sua empresa e deixar um legado de marca.

4) “Escolhi meu sócio porque pensa exatamente igual a mim”

Talvez essa seja a primeira e a mais importante decisão que vai impactar o futuro do seu negócio. Nunca, eu disse NUNCA escolha seu sócio por afinidade apenas. Isso é ótimo e necessário, mas você precisa, além disso, de sócio(s) que complementem habilidades e expertises. Se você é estratégico, escolha alguém executor; se você é visionário, escolha alguém analítico e por aí vai.

Caso você ainda tenha muitas dúvidas, veja este material bem legal que aborda este e outros assuntos.

5) “Benchmarking é tudo, vamos copiar a concorrência, brother!”

Veja bem. Ficar de olho na concorrência é sempre salutar para avaliar o mercado e traçar estratégias. Mas ter um caminho próprio, criar os seus diferenciais, fazer o seu cliente entender que você é diferente dos outros é a chave. Tem um ditado que diz que “quem procura pegadas todo o tempo pode achar uma onça na encruzilhada”. Cuidado!

 

6) “Temos que nos concentrar no faturamento!”

Outra falácia. Pensar que milhões de faturamento diz alguma coisa sobre a saúde ou o sucesso da empresa. Quantas empresas quebraram com quase 1 BILHÃO DE FATURAMENTO? Lembre-se sempre que o controle financeiro e seu planejamento de curto, médio e longo prazo é que vão nortear suas ações e estratégias.

Qual a minha rentabilidade e lucratividade?

Posso me endividar com um financiamento para aumentar minha produção?

Terei capacidade de pagar?

Tenho problemas de distribuição?

Como está o meu marketing?

São muitas variáveis a serem observadas, e uma das grandes tarefas do bom gestor é o controle de custos administrativos e de produção. Esse controle é que te dará segurança e dinheiro no caixa. Vários empresários já me disseram que a chave para uma empresa saudável passa pela redução constante das despesas e não pelo aumento de preços dos seus produtos. Concordo com isso.

7) “Sempre dividimos os lucros no fim do ano.”

Se você quer ter uma empresa no longo prazo, pense que a cada temporada você pode sim fazer retiradas para os sócios, mas também precisa fazer provisão para: novos investimentos (demandas para crescimento); reserva de financiamento de longo prazo (caso tenha); reserva para efeitos sazonais de vendas; reserva para ações trabalhistas ou outros imprevistos.

Muitos empresários “raspam o tacho” das sobras de caixa com viagens, carrões, casa própria como se não houvesse amanhã. E quando acontecem os imprevistos e desafios acabam colocando em risco a sobrevivência da empresa. Olhe esses vícios nesse vídeo sobre finanças que fiz:


Percebeu quantas encruzilhadas existem no mundo corporativo? E isso é só uma amostra! Tem muito mais! O importante é você estar atento para os movimentos de mercado, estudar e se capacitar porque ser empresário necessita de evolução contínua.

Se estiver com dificuldades, procure ajuda de profissionais capacitados. Muitas vezes a solução está na sua frente e a falta de distanciamento do problema deixa sua visão turva. Mas não se preocupe, isso é natural.

E por último, lembre-se: o empreendedor nunca está pronto, apenas subiu mais um degrau e novos desafios virão. Boa escalada e seja feliz!

Grande abraço!

Ebook Gratuito: Quero Empreender e Agora?

Posts Relacionados

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This